Seguidores

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Minha Jandira flexeira da Mata

Quando comecei a me desenvolver a primeira vez que a minha guia encostou foi numa limpeza na minha casa, fui tomar o passe com a cabloca jurema e simplesmente perdi o controle do meu corpo, tremia e chorava sem conseguir conter.

Após este dia todas as vezes que eu ia tomar passe na terreira a cabocla encostava, ainda não sabia que entidade estava ali.

Então decidi deixa-la trabalhar e foi assim que a minha cabocla girou pela primeira vez, não se identificou, mais na segunda vez ela disse quem era:
cabocla Jandira Flexeira...

Estou ainda conhecendo ela, seus costumes, seu hábitos, as Jandiras costumam ser da agua, vem na vibração de Iemanjá, mais calmas, brandas e chegam com movimentos como as ondas do mar.

a minha Jandira se apresentava diferente, chegava a bradar, rodando, e dando um grito, impunha arco e flexa que caracteriza seus movimentos, fala pouco, com ar de seriedade, tem grande conhecimento de ervas e curas.

Seu passe é forte.

Aprendi a conhecer a minha guerreira, ela é da linha de Oxossi, por isso as caracteristicas tão fortes como do povo da mata, ela cantou seu ponto que anotaram e me deram para poder cantar quando precisar dela:

Chama Jandira vem trabalhar
vem lá das matas de oxossi Jandira

ela é Jandira, ela é flecheira
vem cá Jandira sua flecha é legeira

ela é Jandira, ela é Gurreira
vem cá Jandira sua flecha é certeira

minha cabocla tem pena de mim
vem lá das matas onde canta o buriti

chama Jandira vem trabalhar
vem lá das matas de oxossi
saravá!

salve minha linda cabocla guerreira!!! obrigada por me escolher como seu instrumento.

6 comentários:

Anônimo disse...

Olá Aline,sou católica de nascimento,mas aceito a umbanda como religião do coração.
Vim conhecer uma terreira em São Leopoldo faz pouco com minha mãe e me senti muito bem lá.
Gostei de ler seu site,mais sobre Oxóssi,que foi que me deu os passes.
Obrigada,continue escrevendo que está tudo muito lindo.Até..

Anônimo disse...

Meu nome e Eduarda sou de tres rios e achei lindo o que li.tambem tenho a cabloca jandira e preciso aprender mais sobre ela.se tiver alguma dica de livro deixe pra mim .

Anônimo disse...

Já falei com ela tb... Mas, não curto mto esse neg. de mar(rsrsrsrsrsrsrs...)!

Anônimo disse...

Eu me lembro q ela falava a fia e bonita... Rsrsrsrsrs...

Anônimo disse...

Oi a sua cabocla fala com voz tipo meio caipira ?? Bem n é caipira mau tipo voz de velho sabe

Cyz Souza disse...

Ainda não desenvolvi, quer dizer não recebo mas e o primeiro relato que coincide com o que aconteceu comigo. Me assustei com a crise de choro. Chorei das 9 da manhã até meio dia, ininterrupto. Isso se deu no Vale do amanhecer da minha cidade, o doutrinador falava comigo, eu o ouvia longe mas não o respondia. Sentiam-me envolto por uma energia gostosa e prazerosa dando-me sensação de paz e bem está, bem incomum. Depois procurei um centro espirita kardecista e desisti da umbanda, mas não me desliguei totalmente